Animações
24 de julho de 2017

E aí galera, tudo certo com vocês? Estou escrevendo este post depois de que passou um bom tempo da animação e eu consegui ficar menos afobada. E eu confesso que não me lembro quase nada dos jogos de Castlevania. Lembro de jogar escondida da minha mãe, pois se não ela ia falar que meus pesadelos eram por conta do jogo (e nem eram na verdade). Mas enfim, a Netflix resolveu nos presentear com a animação maravilhosa do jogo e agora estou aqui com uma resenha para vocês!

Diretor: Sam Deats

Produtores: Toshiyuki Hiruma, Brad Graeber, Jason Williams

Produção: Frederator Studios, Powerhouse Animation Studios, Shankar Animation, Project 51 Productions, Mua Film

Distribuição: Netflix

Sinopse: Um caçador de vampiros luta para salvar uma cidade sitiada por um exército de criaturas sobrenaturais controladas por Drácula.

Gênero: Animação adulta, Horror, Aventura

A história

O seriado começa com a jovem Lisa indo até a casa do Drácula na Valáquia, em 1455. O Conde concorda em ajudá-la, porém, Lisa deverá ajudá-lo a se conectar com a humanidade. E, com isso, os dois acabam se apaixonando e começam um romance. Porém, vocês sabem que no Século XV a caça às bruxas era algo intenso e muitas mulheres foram acusadas de bruxaria e acabaram indo para a fogueira. E é exatamente isso o que acontece com Lisa: 20 anos depois a jovem é condenada à fogueira acusada de bruxaria.

Com isso, o Drácula fica muito revoltado, já que a Lisa era a única humana que ele amava de verdade e que fazia ele suportar os humanos. Após o corpo de Lisa virar cinzas, o vampiro aparece na cerimônia fazendo uma transmissão pelo fogo, dizendo que os humanos tinham um ano para saírem de Valáquia ou todos vão morrer. Porém Alucard, filho de Drácula e Lisa, diz para o pai se vingar somente do homem que matou Lisa. O vampiro não escuta e ataca o filho de raiva.

Um ano depois, tem uma festa em Valáquia para ironizar o comunicado do Drácula. Eis que o vampirão bolado chama criaturas para matar todo mundo nesta festa, incluindo o Arcebispo que condenou Lisa.

Após essa confusão toda, os rumores se espalham e em um bar homens começam a culpar todos os nobres, incluindo os Belmont. Trevor, o único herdeiro da família de caçadores de monstro, cai no meio de uma treta entre a Igreja e os Speakers (ordem antiga que quer preservar a tradição oral).

A adaptação

Muita gente fica com muito medo de adaptações. Porém, eu gostei bastante dessa. Mesmo que eu não lembre quase nada da franquia, percebi que a Netflix juntou vários jogos da série na animação de uma forma incrível. A animação ficou muito bem produzida, as vozes encaixaram nos personagens e cada um tem sua individualidade.

O Drácula é aquele vilão que você entende o propósito dele, ainda mais se você conhecer a história dos jogos. Trevor é aquele cara bem filho da mãe que tem sempre uma resposta na ponta da língua e que arrancou muitas gargalhadas minhas. Sério, geral estava morrendo e eu chorando de rir com uma piada dele.

Nota final

ASSISTAM. Sério. A animação ficou incrível, as cenas ficaram incríveis e eu tenho certeza que vocês vão gostar. Apenas digo que: se vocês não gostam de ver sangue, tripas, olhos voando e outras coisas do gênero, não assistam. A Netflix deixou essas cenas bem explícitas para dar mais fidelidade ao jogo.

E vocês, já assistiram? Gostaram da animação? Se interessaram? Vem conversar comigo enquanto a segunda temporada não chega!

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Livros
21 de julho de 2017

Sinopse: Até onde vai uma verdade feita em pedaços?

Melissa é uma garota de 17 anos feita de mentiras, ela se muda para outra cidade junto com seu pai e irmão mais novo para esquecer o passado e todo o mal que ele fez. Estava conseguindo tudo isso, já tinha quase um namorado, ótimas amigas, tirava boas notas e fazia parte do time de vôlei da escola. Estava tentando ser uma pessoa melhor, nova, diferente, mas tudo desanda quando Fernando, um velho amigo do seu passado, volta. Depois de quase dez anos sem se verem, ela imagina que agora eles passariam a se tratar como desconhecidos.

Ou seria ela que acabou se tornando uma?

Sua vida vira de cabeça pra baixo. Fernando fica cada vez mais próximo. Matheus, o cara que pediria ela em namoro estava a traindo. Seu pai parece estar escondendo algum segredo. E ainda tem aqueles sonhos, aquelas perturbações noturnas que insistem dizer como ela era uma garota ruim. Alguém que não merece confiança porque ela mesmo mente todos os dias. O problema é que ela já não sabe se as mentiras são para si ou para as outras pessoas.

Agora ela terá que descobrir da pior maneira que nem tudo é o que parece ser.

Quando eu vi em um grupo do Facebook que uma garota procurava blogueiras para uma parceria de um livro, perguntei qual o tema. E fiquei surpresa quando a Kézia comentou que era um livro de mistério e romance. Vocês sabem que eu gosto destes dois gêneros, então eu já pedi para ela me mandar mais sobre o livro.

Eu recebi o livro na minha época de fim de faculdade, então só tive tempo de ler bem depois e não me arrependo. O livro pede para ser lido com calma.

Imagem: Arquivo de divulgação da autora

Melissa foi para o Rio de Janeiro com seu pai e seu irmão com uma coisa em mente: esquecer o seu passado e começar do zero. A vida de Melissa estava ótima. Com suas amigas inseparáveis, Adriana e Fabiana, e seu quase namorado, a garota estava conseguindo se reerguer após um trauma que sofreu dez anos atrás.

Porém o quase namorado não vira namorado. Ele assume compromisso com outra garota, o que deixa as amigas de Melissa – incluindo a própria – chocadas. Nisso, Adriana acaba se envolvendo em uma briga para defender a amiga que foi surpreendida pelo “quase namorado”. Acha que acabou? Claro que não.

Imagem: Arquivo de divulgação da autora

Durante toda esta confusão, um novo garoto chega à escola. Melissa logo se vê atraída pelo jovem apesar da famosa pulga atrás da orelha de “eu já te vi antes”. E a pulga estava certa. Depois de anos correndo de seu passado, ele estava lá em carne e osso. E Melissa descobriu isso ao quase atropelar o jovem. Sim, as descobertas acontecem no mio de situações complicadas no livro e eu amei isso.

Mas qual é o passado que Melissa esconde? Por que Fernando está relacionado com isso tudo? São respostas que você não vê sexta-feira no Globo Repórter, mas sim lendo o livro.

Imagem: Arquivo de divulgação da autora

Leia no WattpadVisite o blog da Kézia

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Livros
13 de janeiro de 2017

Imagem: Arquivo pessoal

Fala galera, tudo certo com todos vocês?
Sexta-feira, sua linda! Esse dia da semana tão maravilhoso que merece uma resenha de um livro tão maravilhoso quanto ela e o livro é Doutora da Alma da mineira Paloma Bernardino.

Título: Doutora da Alma
Autora: Paloma Bernardino Braga
ISBN-13: 9788558331043
ISBN-10: 8558331049
Ano: 2016 
Páginas: 212
Idioma: português 
Editora: Penalux
Sinopse: Valentina Rodrigues é a it girl do momento. Seu livro, “O Voo da Borboleta”, está no topo da lista dos mais vendidos. Por causa da sua história inspiradora, ela começa a ser chamada de “A Doutora da Alma”. Danilo Vaccari costumava ser o melhor amigo de Valentina. Eles cresceram juntos e se conheciam melhor do que ninguém. Eram inseparáveis – até que Valentina teve de se mudar para São Paulo. Os dois mantinham uma amizade à distância, mas, de repente, Valentina encerra o contato com Danilo. Só que ele sempre foi apaixonado por ela. Quando Danilo descobre que Valentina se tornou uma escritora famosa, vê a sua chance de obter respostas e declarar seus sentimentos. Enquanto lê o livro de Tina, ele tenta achar uma forma de encontrá-la. Ela, no entanto, fica cada dia mais famosa e inacessível.
Imagem: Arquivo pessoal
Capa:
A capa tem um estilo simples que lembra um quadro, fato que, depois da leitura, o leitor consegue identificar os elementos presentes nela. Achei isso bem diferente, pois vejo algumas capas com algo mais artístico e que conseguimos matar o propósito somente lendo a sinopse.
Sinopse:
A sinopse não me deixou tão atraída para ler o livro, mas eu tinha lido as 50 primeiras páginas do pdf que a Paloma me enviou e eu fiquei louca para ler a obra toda. Minha sorte é que eu fiquei bem atarefada no serviço e só consegui concluir a leitura no final de 2016 com o livro físico, o que me deixou infinitas vezes mais emocionada.
Diagramação:
Eu não gostei muito da diagramação do livro. Como eu trabalho como revisora e por causa da minha graduação, aprendi a ficar um pouco tensa ao ver linhas órfãs, viúvas, hifenização entre as páginas (uma palavra começa em uma página e termina em outra) e, infelizmente, encontrei muito na obra, o que me incomodou muito. Outra coisa que me deixou um pouco chateada também foi com a impressão, pois o rodapé está mais claro em algumas páginas e a orelha da quarta capa está mais clara que o resto da capa.
Mas fora isso, o final de capítulo contém uma borboleta na página par e eu achei este detalhe lindo, deu um estilo bem delicado à obra. A escolha de fontes e do papel foi muito bacana, pois não dá sombreado em hora nenhuma e não cansa a vista.
Narrativa:
Os erros de diagramação e impressão não tiram o mérito de que o livro foi o melhor que li em 2016. Assim que terminei de ler, enviei um áudio para a Paloma, já que eu estava chorando dentro de um ônibus.
Imagem: Arquivo pessoal
A narrativa da obra é feita em primeira pessoa com uma grande ênfase nos sentimentos de Danilo, sobre o seu passado, sobre a relação que ele tem com Valentina e sua relação com outras pessoas. Conseguimos sentir todas as emoções não só de Danilo, mas de todos os personagens do livro. Conseguimos entender o motivo de Valentina parar de falar com Danilo. Conseguimos sentir o instinto protetor de Paloma e não conseguimos sentir tanta raiva assim de Vanessa (ok, só um pouco).
Enredo:
O livro tem um enredo que vai te prender do início ao fim. Você fica curioso para saber o que aconteceu com Valentina e se o Danilo vai finalmente conseguir falar com ela. Paloma construiu um enredo digno de um romance para você entrar dentro da obra e não querer sair. Uma das coisas que mais me fascinou de longe é que Doutora da Alma é um livro incrivelmente poético, com frases maravilhosas.
O livro começa com Danilo Vaccari sabendo da mudança de sua melhor amiga, Valentina Rodrigues, para São Paulo por causa do pai que foi transferido em março de 2012. Logo após acontece uma passagem de tempo e Danilo está com sua irmã Pâmela no shopping quando observa na prateleira um livro chamado O Voo da Borboleta. No fim, Danilo não compra o livro mas ganha um caderno de anotações de sua irmã e ele usa este objeto para colocar anotações sobre seus sentimentos por Valentina.

“A simples lembrança da garota de cabelos ondulados, sorriso
torto e feições simples, faz meu coração bater mais rápido. Eu deveria
tê-la beijado. Eu deveria ter socado a cara de um garoto que
deu um fora nela quando estávamos no primeiro ano do ensino
médio. Eu deveria ter feito muitas coisas, mas não fiz. Sempre
pensei que a teria, só que a vida me deu um tapa na cara” (p. 18)

Porém, ao ver a amiga na televisão, Pâmela chama Danilo e ele tem a descoberta de que seu amor é Tina Cari, a autora de O Voo da Borboleta. Para tentar compreender a ausência de Valentina em sua vida, ele compra o livro e fica fascinado ao ler mais sobre Valentina. 

“Depois de brilhar um pouco, percebi que estava na hora. Estava na hora de juntar todos os cacos, e montar de novo aquilo que estava quebrado. Era uma nova fase. Eu estava moldada e farta de todos os socos. Então eu entrei na minha pupa, fique enrolada, aguardando, aproveitando a inércia para pensar. O que estava certo? O que estava errado? Quem seria a nova eu? A última transformação iria começar. Eu estava quase pronta para voar” (p. 110)

Então Danilo começa uma busca por Valentina, fazendo um “quadro de suspeitos” para ajudá-lo a mapear o que aconteceu para Valentina não querer mais conversar com ele e cortar contato.
Nota final:
Parafraseando Mike Wasawski, leia este livro agora se não o bicho pega! Hahaha.
O livro me cativou do começo ao fim com suas frases lindas, história envolvente, passado dos personagens (amo histórias que focam no passado dos personagens), uma curiosidade que desperta no leitor e, quando você termina de ler, fica querendo o segundo volume da obra (ou manda áudio chorando para a autora hahaha).

“Como eu não posso acreditar em destino e em acaso com
tudo o que aconteceu no últimos anos? Valentina indo embora. Eu
tentando, sem sucesso, encontrá-la. Isso é destino. O nosso encontro
no metrô… aquilo foi acaso. Será que o nosso final será por destino
ou por acaso? Ou ambos, como foi no filme? Filmes têm finais
felizes… eu quero acreditar que a vida real também” (p. 155)

Imagem: Arquivo pessoal
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Uncategorized
2 de novembro de 2016

Anime: Orange
Autor: Takano Ichigo
Direção: Hiroshi Hamasaki
Gênero: Drama, Romance, Vida escolar, Shoujo, seinen
Produtora: Telecom Animation Film
Ano: 2016
Número de Episódios: 13 
Sinopse: Certa manhã Naho Takamiya recebe em casa uma carta cuja remetente afirma ser ela própria dez anos no futuro. Em um primeiro momento não acreditando em seu conteúdo, a garota se vê obrigada a mudar de ideia conforme percebe que os eventos do dia narrados na carta acabam acontecendo de verdade, especialmente a chegada de um novo aluno na sua sala chamado Kakeru Naruse, rapaz esse que aos poucos fará parte de seu grupo de amigos formado ainda por Hiroto, Saku, Takako e Azusa. Detalhando então o que virá a ocorrer nas próximas semanas e meses, a Naho do futuro explica como possui diversos arrependimentos de ações errôneas tomadas nessa fase de sua vida, desejando assim que a Naho estudante corrija tais eventos no seu lugar, e em particular os que envolvem Kakeru. Na carta é revelado que o garoto não estará mais entre eles no futuro, cabendo à jovem Naho a partir de agora tomar conta dele e realizar as ações corretas a fim de evitar uma iminente tragédia.
-xx-

Fala galera, tudo certo?
Estou aqui para mais uma resenha de anime! Vou contar que eu estava com muitas saudades de ver animes, mas o meu computador estava uma coisa incrível para assistir. Sério. Se ele passasse dois segundos sem travar eu ria de orelha a orelha.
Mas com problemas resolvidos graças ao aplicativo AnimeTV, voltei a ver meus animes e espero manter uma rotina mais frequente com resenhas de animes e mangás aqui no blog (AVISO: não é propaganda. Quando eu gosto de algo, eu falo em todo canto e praticamente tatuo no meio da testa). 
O anime que vou resenhar hoje é o anime que entrou para o melhores do mês de setembro e de outubro, Orange.
Orange narra a história de Naho, uma garota que começa a receber cartas de si mesma dez anos no futuro, contando fatos que aconteceriam nas próximas semanas e pedindo para que sua versão dez anos mais jovem não faça algumas coisas as quais ela se arrepende.  Assim como escrito na carta, no primeiro dia de aula do 2º ano do Ensino Médio, um novo garoto é transferido para a escola onde estuda: Kakeru. Naho e seu grupo de amigos se aproximam de Kakeru e Naho ignora um dos avisos da carta: não convidar Kakeru para o evento que teria após a aula.
Depois desse evento, Naho vai se aproximando de Kakeru e acaba se apaixonando pelo garoto, descobrindo que a mãe dele cometeu suicídio no dia do evento e Kakeru se culpa, pois, caso ele não fosse ao evento, sua mãe ainda estaria viva. A garota tenta evitar com que outros acontecimentos ocorram para que Kakeru não cometa suicídio, assim como descrito na carta.
O anime é muito lindo. O jogo entre futuro e passado é feito de maneira incrível, o autor realmente soube como inserir isso na história sem provocar alterações na linha do tempo e como ele fez isso eu não digo, pois é spoiler e não gosto de dar spoilers. A temática da história gira em torno dos problemas pessoais de Kakeru e a narrativa apresenta depressão e suicídio de uma forma bem real. Recomendo muito que vocês assistam (de preferência, com uma toalha do lado, porque você VAI chorar).
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Uncategorized
19 de outubro de 2016
Título: A Chama da Esperança – A Princesa Renegada
Autor: M. V. Garcia
Gênero: Romance / Ficção
Ano: 2015
Idioma: Português
Páginas: 348
ISBN: 978-85-68255-00-9
Sinopse: Movidos pelo preconceito, pela sede por poder e pela perda, humanos e feiticeiros eram inimigos desde os primórdios de Yuan, gerando guerras e destruição. Durante uma terrível guerra, que ficou conhecida como a Grande Guerra de Willford, Kaira perdeu o seu lar e sua família. Quando uma nova guerra se inicia, ela não faz ideia do que está por vir, mas a jovem feiticeira recebe a difícil tarefa de reunir os cinco clãs de feiticeiros da nova República em um único e poderoso exército. Será que ela vai conseguir? Em uma aventura que percorre as planícies de Ghennas, a montanha gelada de Liore, os desertos de Rockaxe e as margens do rio Armon, Kaira, seu melhor amigo Garo e dois companheiros mais do que improváveis descobrem que há muitos segredos que alimentaram o ódio entre os dois povos.  
-xx-
Fala galerinha, tudo certo com vocês?
Cá estou eu com mais uma resenha de livros êêêê! Falei que eu ia trazer mais livros e estou aqui com mais livros assim como o prometido! Participei de um concurso para seleção de blogs parceiros do livro A Chama da Esperança. Não conhecia a obra e adorei passar boa parte dos dias de volta para casa do estágio lendo esse livro.
A história começa com Rosaria Seres sendo perseguida por um bando de feiticeiros conhecidos como os Falcões Negros, os responsáveis pela Guerra de Wilford. Rosaria consegue selar os feiticeiros e, com isso, instaura uma paz aparente em Wilford, lugar onde os humanos vivem, e na República, lugar onde os feiticeiros vivem após se dividirem em clãs. Porém, como nem tudo o que é bom dura pouco, a magia é quebrada na juventude de Kaira e os Falcões Negros procuram a filha da rainha e a pedra que foi utilizada para selá-los, chamada A Chama da Esperança.
Kaira, a protagonista do livro, é a filha perdida da rainha e vive alheia às situações de seu passado com Sahir e Adill. Com um ataque ao seu vilarejo, a jovem vai buscar refúgio em Flameria, no reino do fogo, com Garo, seu amigo de infância. Lá, Adill sente-se obrigada a contar a verdade para a jovem garota sobre seu passado.
A escrita da Mayara é incrível. Enquanto eu lia, eu me sentia vendo um filme com todos os detalhes presentes e ela deixa críticas às pessoas e à sociedade nas páginas, como, por exemplo, a vingança que Kaira tem pelo homem que matou seu avô e o ego dos clãs é tão grande que cada um acredita que é superior e não fala com os demais.
Peço desculpas por deixar a resenha meio vaga, é que se eu falar mais eu falo spoiler e não gostamos de spoilers, não é mesmo? Caso vocês queiram comprar o livro, ele está com preço promocional no Mercado Livre por tempo limitado. E, caso vocês queiram saber mais, confiram a fanpage do livro, a Mayara sempre atualiza com coisas lindas sobre os personagens e novidades do livro!
E, como parceira do livro, ganhei um kit muito amor <3 Olha as fotos das fofurinhas!

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.