Melhores do mês
6 de Janeiro de 2017
E chegamos mais uma vez com aquele post que não teve em novembro, mas tem em dezembro. Eu fiquei com muitas saudades dessa postagem pois eu faço um remember de tudo o que rolou no mês e o melhores do ano é melhor ainda, pois o remember é maior.
Esse ano teve muita coisa boa, muita novidade e muita coisa incrível nas novas mídias e vou aqui contar para vocês o que ganhou no meu ano de 2016. Se vocês gostaram de alguma coisa ou não gostaram me falem que eu adoro quando vocês comentam sobre as coisas do blog.
Série do ano: Stranger Things
Stranger Things é uma série da linda, maravilhosa, incrível, irreverente, segura de si, Netflix. O enredo é focado no desaparecimento misterioso de Will, que começa a encadear um tanto de acontecimentos estranhos na cidade de Hawkins. Os amigos do garoto Mike, Lucas e Dustin começam a investigar paralelamente à polícia e encontram uma garota com poderes chamada Eleven. A trama é fantástica e eu garanto que vocês vão acabar de ver a série querendo a segunda temporada.
Imagem: Netflix


Game/App do ano: Pokémon GO
Um jogo que, assim que saiu foi a maior febre. Todo mundo baixou e começou a jogar no ônibus indo para o serviço, indo para casa, começou a disputar batalhas, o aplicativo deu o que falar nas primeiras três semanas de lançamento e hoje poucas pessoas jogam. Felizmente, eu sou uma dessas poucas pessoas. Pokémon GO é um jogo de realidade aumentada que você tem que sair atrás de muitos Pokémons e completar a sua Pokedéx. Já tenho mais de 100 monstrinhos, e vocês?
Imagem: Redbull


Livro do ano: Doutora da Alma (autora: Paloma Bernardino)
Quando uma amiga nossa anuncia que vai lançar um livro, você já fica na expectativa. Aí você lê o livro e vê algo tão poético, tão bonito que fica até sem reação ao le e para falar sobre ele. O enredo é narrado por Danilo Vaccari e mostra a amizade que ele tinha com Valentina Rodrigues. Porém a garota tem que mudar para São Paulo e eles perdem o contato até que Danilo, um ano depois, reencontra Valentina em um programa de televisão para falar sobre seu best-seller O Voo da Borboleta. O romance é muito bonito, cheio de metáforas e gera uma expectativa muito grande no leitor. Em breve vai sair resenha aqui no blog e falarei mais sobre o livro.
Imagem: Arquivo pessoal

Filme do ano: Capitão América – Guerra Civil
Não é o novo filme do Star Wars porque eu não fui ver ainda hahaha. Mas é filme de heróis porque meu lado nerd dominou os cinemas de Belo Horizonte para ver filmes baseados em HQ e mais geeks. Guerra Civil é aquele filme que me fez querer chorar, querer brigar com todo mundo no cinema (colegxs, vocês não precisam gritar feito loucxs toda cena que aparece o Chris Evans), querer ver de novo umas trezentas vezes (acho que eu vi só mais 299 vezes depois) e me deu uma expectativa gigante para o filme do Homem Aranha com o Asa Butterfield. 
Imagem: Pipoca e Nanquim
Site do ano: Love is Colorful
Eu gosto MUITO do blog da Bá Nassar, ela é uma fofa e tem um blog fantástico. Se você quer dicas de viagem, blog, produtos, looks e entre outras coisas acessem o blog dela porque vai ter tudo e mais um pouco do que você precisa!

Imagem: Blog Love is Colorful

Álbum do ano que vai ser artista do ano: Christina Grimmie

Eu já tinha conhecido os covers da Grimmie tem muito tempo e parei de ouvir com o tempo, mas em dezembro eu ouvi quase todas as músicas dela. Infelizmente a Christina foi assassinada em junho de 2016, mas sua música e seu legado vão ficar para sempre.

Anime do ano: Orange
Se não fosse essa belezinha seria qual anime meu povo? Não foi nem um pouco difícil escolher o anime do ano em 2016, já que Orange ganhou o meu coração em 2016 e provavelmente vai ganhar em 2017 também (ou não, me indiquem animes). A história desse anime é incrível, o mangá é perfeito e tenho certeza que vocês vão gostar.

Imagem: Site Farol Cultural

Canal do YouTube do ano: PenseGeek

No canal PenseGeek, as Satty comenta sobre coisas da vida dela, responde os fãs, faz vídeos de Game Plays e muitas outras coisas. Tem muito vídeo para se divertir e rir, mas também tem muitos vídeos sérios de assuntos que muitas vezes não são tão comentados quanto deveriam.

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Uncategorized
30 de dezembro de 2015
Konnichua minna!
Tudo bem com vocês nessa noite de quarta-feira que vem com uma mega retrospectiva dos melhores do ano de 2015 na minha opinião? 
Estou aqui com a minha listinha de melhores do ano e confesso que foi. muito. difícil. escolher. Se eu já sou uma pessoa eufórica com os melhores do mês, já fico sofrendo escolhendo cada um para o mês, imagina para o ano? Eu fiquei dias e dias pensando em muitas categorias, até que temos os vencedores:
Série do ano: Daredevil

Sem dúvidas, essa foi a melhor série de 2015. Daredevil (ou Demolidor) é uma série que narra a história de Matt Murdock, um advogado que perdeu a visão quando criança. Porém, ao ficar cego, Matt criou poderes sensoriais. Depois de um tempo, vendo os crimes do bairro de Hell’s Kitchen, ele decide se tornar um justiceiro e encarar o crime de frente.  E mais uma vez: obrigada por criar Daredevil, Netflix <3

Game/App do ano: Rise of the Tomb Raider

Que eu sempre fui fã de Tomb Raider todos já sabem, mas esse ano teve o melhor jogo da franquia (na minha opinião). Enquanto eu jogava, fiquei com muitas saudades de jogar Tomb Raider: the Angel of Darkness e tive aquele feeling de querer jogar tudo de novo no pc. Mas como o meu pc mal mal aguenta a internet, ficarei sem nada por enquanto.

Filme do ano: Star Wars Episódio VII – O Despertar da Força

Como fazer uma nerd feliz: continue a saga de filmes favorita dela. E, em The Force Awakens, eu me senti com dez anos de novo, vendo os filmes e ficando apreensiva. O filme superou as minhas expectativas e quero vê-lo mais muitas vezes <3

Livro do ano: Bruna Vieira – A Menina que Colecionava Borboletas

Esse ano eu li muito livro escrito por autores nacionais, o que eu gostei bastante, pois minha opinião sobre muitas obras era baseada em resenhas, e eu não sabia que as obras eram tão boas. Esse ano, uma obra que ganhou meu coração foi “A Menina que Colecionava Borboletas”, escrita pela mineira Bruna Vieira. É um livro de contos e poemas e contos escritos pela Bruna e vale muito a pena ler.

Site do ano: Netflix

Uma das melhores (se não a melhor) invenção do mundo que eu consegui usufruir somente esse ano sem dúvidas é a Netflix, que disponibiliza séries, animes, filmes e novelas (incluindo produções originais) e um dos melhores investimentos que eu tenho, pois são R$ 20,00 por mês e eu assisto à vontade.

Álbum do ano: 25, de Adele

Hello. It’s me. I was wondering if after all there years, you’d like to give me the #1 in everything. Sim, a música dela deveria ser assim porque essa música chegou em novembro assim como o álbum e ganhou tudo, começando pelo título de álbum do ano. Vou fazer uma resenha do álbum em breve e já posto para vocês.

Anime do ano: Fairy Tail

Fairy Tail não é desse ano, eu sei, mas foi um anime que me prendeu dia e noite, fiquei assistindo dia após dia sem parar, chorei, ri, sofri e desesperei com muitos episódios. No momento, o anime acabou mais um arco e estou levemente abandonada (aceito pessoas querendo comentar comigo he).

Canal do YouTube do ano: Cadê a Chave?

Esse ano eu fiquei um bom tempo procurando coisas no YouTube, vendo os vídeos de uma galera de youtubers, mas eu tenho que selecionar apenas um para a categoria. Os escolhidos foram Nilce Moretto e Leon Martins, do canal Cadê a Chave, o qual eles postam vlogs de seu cotidiano no Canadá. 

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.