Uncategorized
4 de agosto de 2015
Não sou uma pessoa ciumenta. Sei lá quantas vezes eu
mentalizei essa mentira somente nessa primeira hora do dia que estou acordada. Arrumei
o meu cabelo e peguei o meu celular que, ainda bem, não estava com nenhum
arranhão depois de acertar a parede da minha casa quando, na verdade, era para
acertar a cabeça do meu namorado.
Ou meu ex-namorado, eu não sei muito bem se nós rompemos na
noite passada, sendo que ele saiu e me deixou falando sozinha depois daquela
discussão.
O problema é que ele é muito educado com todo mundo e tenta
fazer o máximo para ajudar. E eu confundo ajuda com paquera. Sim, sou babaca
por pensar assim, mas, se você o conhecesse, entenderia todos os motivos para o
meu ciúme doentio.
Arrumei o meu cabelo em dois coques, mas logo os desfiz,
deixando o meu cabelo solto. Era muito estranho ver o meu cabelo loiro solto
quando eu o uso preso praticamente o tempo todo.
Digitei uma mensagem para Trevor. Era hora de resolver o que
ficou pendente ontem, já que nós dois gostamos de certezas e odiamos deixar
qualquer situação pela metade. Ainda mais brigas.
Savannah: Por favor,
vamos resolver tudo. Venha para a minha casa.
Trevor: Tudo bem.
Ele respondeu a mensagem com um ponto final, assim como eu.
Nesse momento, ele deve estar pensando que estou muito brava com ele. Assim
como estou pensando que ele está com muita raiva de mim e, com toda certeza,
estaria com mais raiva se o celular tivesse acertado na testa dele, conforme a
minha mira.
Reflexos idiotas.
Troquei o meu pijama e coloquei um vestido preto que tinha
lindas flores rosas e fui conferir a sala. Por mais que a minha briga com Trevor
só tivesse resultado em um celular voador, a casa estava bem bagunçada.
Eu estava sozinha em casa, meus pais haviam viajado com o meu
irmão mais novo e eu havia ficado para estudar para os exames da faculdade.
Depois eu arrumo. Consigo resolver uma coisa de cada vez e, no momento, eu
queria resolver as coisas com Trevor. Nada mais.
A campainha tocou e eu fui atender. Trevor estava usando uma
blusa branca amarrotada, uma calça jeans e…
Um capacete de futebol americano.
Adoro a capacidade que o meu namorado tem para me
surpreender, ainda mais depois de uma briga.
Encarei aqueles olhos azuis. Porra, por que ele tem que ter
olhos tão lindos?
– Posso entrar? – Ele perguntou.
Pensei em responder “Não otário, eu te chamei para você ficar
aí plantado na minha porta impedindo a passagem”, mas só cedi passagem para ele,
que se sentou em meu sofá. Antes de fechar a porta, reparei que havia algo no
tapete. Uma rosa vermelha. A rosa que Trevor sempre costuma me presentear.
Ontem, ele havia entrado em minha casa para jantar comigo
como de costume. Ou melhor, para fazer o meu jantar e comer comigo, uma vez que
ele e meus pais não confiam na minha falta de talentos culinários.
Ele me cumprimentou com um beijo e se desculpou pelo atraso,
pois estava ajudando Camille e outra pessoa que eu não lembro o nome. Eu fiquei
com muita raiva e comecei a falar coisas como “A Camille é mais importante que
eu”, enquanto ele tentava falar.
Comecei a andar pela sala depois de ouvir sobre Camille e
peguei a primeira coisa que na minha frente: o meu celular. À medida que
começávamos a gritar um com o outro, joguei o meu celular na direção dele, que
desviou. Filho da mãe, a minha mira quando estou com raiva não me faz errar e
com toda certeza o aparelho iria parar no meio da testa dele.
Depois que joguei o celular, ele saiu da minha casa e eu
sentei no sofá, cobrindo os meus olhos. Depois de um tempo no sofá, fui deitar
em minha cama e chorei até cair no sono, não me importei nem com o jantar
naquela noite. Dizem que quando você está triste, você não sente apetite.
Abaixei e peguei a rosa, fechando a porta logo em seguida.
– Você ficou aqui ontem passada? – Perguntei, olhando para
ele.
– Sim. – Ele tirou o capacete – Fiquei aqui até uma hora da
manhã, quando vi que você havia dormido. Entrei na sua casa e dei uma arrumada
na cozinha.
Ele aproximou-se de mim.
– Savannah, eu…
Olhei aqueles olhos azuis. Eu senti medo no olhar dele. Não
medo de que ele fosse me machucar ou algo do tipo, mas eu vi que ele sentia
medo.
Antes de Trevor, eu tive outros namorados, mas nenhum é como
ele. Meus relacionamentos passados deram muito errado… E, apesar das nossas
frequentes brigas, eu me sinto tão bem ficando ao lado dele. Toda vez que ele
me beija eu me sinto como se fosse a primeira vez, como se eu precisasse de um
inseticida para matar aquelas malditas borboletas no meu estômago.
Quando eu estava com ele, sentia que o meu sonho de construir
uma família linda e feliz eram possíveis e ele me lembrava disso a cada
momento. E ontem, quando ele não foi embora, me fez perceber que eu gostaria de
ficar com ele para o resto de minha vida.
Savannah idiota, já está chorando novamente?
– Savannah você está chorando? – Ele perguntou.
– Sim. – Falei – Eu sou uma idiota. Não deixei você falar
nada e tentei te acertar ontem. A verdade é que… Bom, eu te amo.
– Eu também te amo. – Ele me deu um beijo rápido nos lábios –
Muito.
– Eu não deixei nem você explicar as coisas ontem… – Falei,
cobrindo o rosto – Você me perdoa?
Ouvi uma risada.
– Claro que te perdoo Savannah. – Ele falou, beijando minha
testa e fazendo carinho em minhas bochechas – Quem mais vai te amar quando você
fica irritada e depois que joga o celular quase na cara da pessoa?
-xx-
– Ah, Trevor. – Falei, enquanto mastigava uma pipoca e engoli
após ele olhar para mim – Quem é Camille?
– A noiva do Thomas que estava lá no meu apartamento também. –
Ele respondeu – Os dois queriam as minhas anotações para a prova de semana que
vem.
– Por que você não me falou isso antes?
– Eu falei, mas quem disse que você ouviu? – Ele respondeu e
me deu um beijo após ver minha cara de indignação.

É, eu gostaria de ficar com ele para a minha vida toda.

Fala galera, tudo certo?
Eu estava ouvindo Stay Stay Stay da Taylor Swift no ônibus e surgiu a ideia dessa short em minha cabeça e eu coloquei no papel.

A história original é uma fanfic de Sailor Moon, mas eu resolvi postar aqui com um casal inventado, caso você queira ler como fanfic, clique aqui.

Comentários Facebook
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Maria Valéria

    4 de agosto de 2015

    ah, pois eu sou ciumenta hahaha mas ao contrário de Samantha, não tento me enganar fingindo que não xD

    bacana teu conto, apesar de não gostar de Taylor Swift, sua inspiração pra escrevê-lo… :T

    • Juliana Piquerotti

      5 de agosto de 2015

      Olá!
      Obrigada pelo elogio ♥
      Acho tão fofas as músicas da Taylor e essa música é super fofa!

  2. Suelen Fernandes

    4 de agosto de 2015

    Olá!
    Adorei o conto. É legal e nos passa uma mensagem linda de amor.
    Que venham mais inspirações.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

  3. Tony Ferr

    4 de agosto de 2015

    Contos de amor são sempre perfeitos! Excelente textos!
    Abraços,

    Tony

    http://www.dicassliterarias.blogspot.com.br/

  4. Aline – Literalizando Sonhos

    4 de agosto de 2015

    Olá!
    Adorei o conto!
    Sou ciumenta então entendo a personagem, só não fico fingindo que não sou.rs
    Legal a sua inspiração vir da música da Taylor.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

  5. Karoline Nunes

    5 de agosto de 2015

    Aii que lindooo!
    Nossa super amei,mais a parte do celular na testa foi de matar "literalmente" kkkkkkk
    Bejnhs

    http://karoline-o-meu-melhor.blogspot.com/2015/08/dificil.html

  6. Ju Souza

    6 de agosto de 2015

    Oie…
    Que inspiração linda. Amei o Conto flor!
    Não sou muito fã da Taylor Swift, mas ela te rendeu essa ótima história e que venham mais…
    Bjus
    Juh – Surtos da Juleka

  7. Aline Souza

    6 de agosto de 2015

    Adorei seu conto, poderia escrever mais ne, ficou realmente ótimo.

  8. Ana Carolina Ribeiro

    7 de agosto de 2015

    Conheço uma ciumenta assim mesmo
    Fala que o marido é muito prestativokkkkkk
    Adorei o texto acho que vou até mostrar pra ela
    bjs

    http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/

  9. Vitória Zavattieri

    7 de agosto de 2015

    Oii,
    Conheço muita gente ciumenta assim!!! kkkkk
    Adorei o conto.
    Vivi
    Corujas de Biblioteca

  10. Bia Santos

    8 de agosto de 2015

    Ameeei, sou super ciumenta haha, adorei o seu conto, vc escreve muito bem, parabéns!!
    Bjss do blog blackisthenewhappy.wordpress.com

  11. Dryh Meira

    9 de agosto de 2015

    Oiee ^^
    Assim que vi o título, pensei na música da Taylor…haha' fiquei surpresa quando você disse que estava ouvindo essa mesma música ao escrever. Gostei bastante do conto, achei o final muito fofo ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  12. Cila – Leitora Voraz

    10 de agosto de 2015

    Oi Ju, sua linda, tudo bem
    Ciúmes pode destruir um relacionamento, ficamos cegos. Coitado, a menina era noiva, ele não a estava traindo, ela poderia ter perdido o namorado. E que namorado!!!!! Fiquei impressionada, ele ficou lá, não foi embora. que lindo!!!!!! Amei!!!! Escreva mais!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

  13. Amanda Raupp

    10 de agosto de 2015

    Oii!

    Adorei a inspiração!
    Amei o conto e com certeza vou ler a fanfic depois 🙂 O ciúmes é um assunto muito falado e muitas pessoas chegam a ser doentes de tanto ciumes que tem!
    Adoro essa música da Taylor Swift 🙂

    Beijos, Amanda
    http://www.vicio-de-leitura.com

  14. Livros & Tal…

    12 de agosto de 2015

    Olá, boa noite!

    Gosto de algumas músicas da Taylor e sou ciumenta (mas considero ser na medida certa, porém, como saber, né? rs). Acho que por isso gostei bastante e curti a personagem. Parabéns pelo conto, que venham outros.

    Beijo!
    Ana.

  15. Fernanda Bizerra

    12 de agosto de 2015

    Oiee.

    Gostei muito do conto e como não conhecia a música fiquei mais ligada na trama.
    Creio que sou um pouco ciumenta, mas nunca tive esses testes loucos da vida.

    Beijos
    http://www.amorliterariooriginal.blogspot.com.br

  16. Sarah Marques

    12 de agosto de 2015

    Oie, tudo bom?
    Ai, eu adoro entrar em blogs e ler textos, sinto bastante falta disso atualmente! Continue escrevendo porque ficou muito bom! Não tenho muito ciume, mas achei a cena bem crível! Parabéns!
    Beijão
    http://sarahmarques.com.br/

  17. Thais Maia – Notinhas de Rodapé

    14 de agosto de 2015

    hoje estou com sorte em… já li tantos textos, crônicas e contos maravilhosos;
    adorei esse, e sim! sou extremamente ciumenta, do tipo que tem de todos e de tudo. sejam amigos, familiares ou namorado. kkk
    bjs