Todos os posts sobre Originais

Originais
27 de abril de 2014

Hey brother, qual foi a última vez que você se sentiu bem? A última vez que se sentiu inteiro? E a última vez que sorriu com uma força que você nem sabia que existia dentro de você?
Não sabe? Pois bem, faz parte da vida. É essa coisa mecânica, de “vamos correr com nossas obrigações” e no final nós ficamos na esperança de fazer algo para nós mesmos e, quando chega no fim do dia vem a questão: o que eu fiz hoje para me sentir bem? Eu consegui arrumar algo para preencher algum tipo de vazio que há dentro de mim ou nem tentei melhorar?
Sim, são muitas incógnitas e muitos “xis” para muitas questões em tanto pouco tempo, mas é bom refletir. Tire um tempo – que tal agora – e pare e pense em como você precisa de um tempo para si mesmo. E quer saber o que acontece depois? Você pega um espaço em sua agenda – um dia, quem sabe – e fale “esse dia é meu e ninguém me tira”. Preencha todos os vazios e todas as saudades que você sentir. Vale fazer tudo: passear com o cachorro, gato, papagaio, peixe, sair para comprar o maior sorvete do mundo ou comprar o amendoim do moço na praça, desde que você se sinta bem. Tire o vazio da solidão do seu peito e nunca deixe-o voltar.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Chega junto aqui, rapidinho. Eu quero ter você aqui do meu lado por algum momento, é pedir muito? Um simples carinho, um simples beijo, ou um simples gesto de amor. Sei que as memórias que eu tenho podem não ser as mesmas que você tem. Ora bolas, claro que não são! Eu fico fantasiando demais com algo que jamais aconteceu. Ou então fico pensando no que aconteceria se eu tivesse dito ou escrito algo de uma forma totalmente diferente. Nossa situação ia continuar na mesma estaca “zero a zero” ou “não olhe para mim agora, eu estou olhando para você nesse exato momento” ou iria mudar para algo mais “eu estou olhando para você e adoro quando você descia o olhar”? Vou ficar pensando nisso nesse momento antes de dormir… Neste momento que tenho para refletir sobre o que poderia ter acontecido… Ou refletir em algo que nunca vai mudar.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Originais
26 de abril de 2014
Acredito que um abraço é capaz de curar todas as cicatrizes feitas com o tempo, portanto me abrace. Mas não me abrace só por abraçar, me abrace com vontade, como se nunca mais fosse me soltar, como se nunca fosse me deixar ir. Vamos nos prender a esse momento por um bom tempo, até que eu me sinta renovada. Esse é o propósito desse ato de carinho e afeto, não? Demonstrar companheirismo, ajudar a renovar as forças unindo-as, ser um carinho a mais, demonstrar cumplicidade e o maior sentimento de todos: o amor. Um abraço dado com amor não cura só as cicatrizes, como também nos prepara para boa parte da vida. Um abraço dado com amor, ainda mais amor de amigos, é a melhor sensação da vida.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Originais
23 de junho de 2013
Tempo, tempo, tempo
Por que és tão lento?
Enquanto estou aqui, sentada
Vendo-te passar em uma calmaria sem fim
Tempo, tempo, tempo
O que tens contra mim?
Enquanto estou aqui, sentada
Sinto que ri de mim
Enquanto os outros pensam que na aula estou atenta
Na verdade, esse poema eu escrevo
Algumas palavras ao vento
Tempo, tempo, tempo
Deixe de ser filho da puta
E façam esses 37 minutos passarem rápido.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Originais
17 de junho de 2013
Nem sempre as coisas acontecem como queremos. Eu quem diga, já tentei mudar o rumo de muita coisa e não adiantou nada. Mas quer saber, mudar para quê? Deixa as coisas fluírem naturalmente, sem pressa. Deixe que o tempo te surpreenda, não tenha medo do dia de amanhã. Se o dia de hoje foi uma merda, levante a cabeça, sorria e diga: amanhã é um novo dia.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.