Uncategorized
25 de dezembro de 2014
Estava com um vestido azul naquela noite e rodava o copo de cerveja em minha mão, enquanto observava as pessoas chorando naquela sexta-feira à noite. Ouvi, sem querer, uma mulher reclamar que iria passar a noite sozinha e sorri com aquilo. Muito provavelmente aconteceu algo trágico: ela estava namorando e o namorado terminou com ela, o seu noivo a abandonou no altar ou coisas do gênero. Sorri indiretamente ao pensar naquele caso. 
Porque, afinal, dois dias atrás eu estava em minha cama, chorando e pensando se eu ficaria sozinha e por quanto tempo eu ficaria daquela forma. Sim, você me fez pensar nisso. Estou errada por criar expectativas, eu sei, mas eu não tenho culpa se minha mente começa a viajar e nunca mais para. Dei um gole em minha bebida enquanto a mulher chorava mais alto. A minha vontade era de dar mais bebida para ela, até que caísse no sono. 
Assim que terminei a minha cerveja, pedi a conta e saí do bar, dando passos calmos e decisivos até o ponto de ônibus, na esperança de chegar em casa em segurança.
Então você estava lá, com sua blusa preta de sempre, sua calça jeans e tênis All Star.
Evitei você, pois meu ônibus estava passando naquele exato momento.
E lá vamos nós, cada um com o seu rumo sentindo-se sozinhos em uma sexta-feira à noite.
Comentários Facebook
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*