Uncategorized
20 de março de 2015
Desliguei a ligação de Bruno. Não conseguia acreditar que a pequena Miranda estava completando o seu primeiro ano de vida. Parece que foi ontem que eu viajei para Curitiba e, enquanto eu saía com Caroline, ela resolveu querer nascer.
Foi uma situação engraçada. No meio do táxi, Caroline começou a ter fortes contrações e eu a levei ao hospital na mesma hora, enquanto ligava para Bruno para falar “sua filha vai sair agora”. Ele atendeu e ainda chegou mais rápido que nós duas no hospital. Pena que desmaiou ao ver a filha pela primeira vez.
Pensei em dar partida no carro, mas conferi se havia algum recado novo em meu Whats App ou em minha caixa de e-mail.
Assim que chegamos a nosso andar, entrei na primeira porta à esquerda, acendi as luzes e sentei de frente ao meu computador, vendo todas as notícias que estavam lá em cima da minha mesa. Teria que comentar sobre o jogo que iria acontecer naquela quarta-feira. E, para isso, era necessário que eu organizasse todas as reportagens e organizasse tudo em minha planilha do Excel.
Fui digitando as informações enquanto as pessoas chegavam e eu as cumprimentava com um singular “bom dia”. A pilha de coisas para fazer aumentava com o passar dos minutos e eu saí da minha sala, indo ao banheiro e pegar uma água na cozinha.
A cozinha do andar era a menor, uma vez que havia mais mesas no meu andar do que nos outros andares. Peguei a minha caneca do Batman e a enchi de água. Caminhei até a minha mesa e coloquei a caneca ao lado do meu teclado e olhei para o relógio. Onze horas da manhã. Daqui à uma hora eu iria almoçar e, conhecendo o meu cartão fidelidade, seria no restaurante da esquina. Hoje eu ganharia uma refeição grátis. 
Tomei um gole na minha água e observei a minha colega ao lado olhando o horóscopo diário dela.
– Qual é o seu signo, Lorena? – Ela perguntou – Vamos ver o que os astros reservam para você no dia de hoje.
– Você sabe que eu não acredito muito em horóscopo, não é Lara? – Sorri – Meu signo é Câncer.
Ela digitou e abriu uma página de um desses sites aleatórios que não prestei atenção.
– De acordo com isso, hoje o seu dia não está bom. – Ela falou – Vai acontecer algum problema com seu emprego e seu relacionamento. E uma viagem vai acontecer em breve.
– Pelo menos isso. – Sorri.
Lembrar os casos antigos era uma coisa muito engraçada. Eu não era muito fã de rever o passado, era fã de remoê-lo. Assim como pretendo contar em minha nova coluna no Estado de Minas se a receptividade for boa, claro. Se eles não gostarem, ficarei no velho esquema de “mande a droga da pergunta e tenha a resposta mais clichê de sua vida”. 
Aquele dia que Lara me contou sobre o horóscopo e a minha previsão, eu não fiquei nem um pouco impressionada com o que iria acontecer. Na verdade, eu nem imaginava o que iria acontecer naquele dia. 
Mas hoje eu agradeço que aquilo aconteceu.
Lembrei-me de conferir o meu celular e a mensagem da pessoa desconhecida na hora do almoço. Eu já estava no restaurante e tinha colocado mais churrasco do que o pretendido, mas eu não podia evitar. Eu adorava a picanha daquele lugar.
Mexi no celular e vi a mensagem, que dizia: “Olá Lorena, eu sou a noiva do seu namorado, Eustáquio. Estou noiva dele há cinco anos e ele está enrolando nós duas. Caso duvide de mim, vá até o Outback do Pátio Savassi às 20 horas e confira”.
Pensei em responder, mas minha única reação foi ficar olhando para a tela do celular, como se eu tivesse lido “você tem cinco minutos para salvar todos ou morrer”. Tudo bem, eu estou exagerando, mas enfim. Não acreditei de primeira, achei que era algum trote. Mesmo a pessoa sabendo o meu nome e o nome do meu namorado, mas… Não era possível. Não desesperei na hora. O pior é que isso podia ser verdade, Eustáquio era um homem de muitas mulheres. E a retardada achou que iria mudá-lo. Coloquei um lembrete em meu celular, para caso eu lembre-me de ir até lá. 
Após algum tempo, o meu horário de almoço acabou e eu fui até a minha amada mesa novamente. Olhei algumas notícias em vários sites, para verificar a forma que as reportagens eram escritas e fui reparando que poucas palavras mudavam – confirmando o fato que vi na faculdade.
Tentei me concentrar em tudo o que eu estava fazendo no serviço, mas não deu muito certo. Toda vez que eu abria algo novo ou que eu digitava uma letra em meu word, eu pensava em Eustáquio e na mulher que havia me mandado a mensagem. Olhei para a foto dela e fiz uma análise. Ela era linda. Cabelos longos e pretos, traços de japonesa, olhos verdes…
Ele estava me traindo, com toda certeza.
– Lorena, nós podemos ter uma conversa na sala de reuniões, por favor? – Tomas falou, com uma expressão tão séria que me assustou.
– Tudo bem. – Falei.
Sabe quando alguma coisa vai explodir em suas costas, mas você não sabe o que é? Foi exatamente o que aconteceu comigo naquele dia. Liguei o meu Palio e saí com ele, rumo ao meu apartamento, já que hoje era meu dia de folga, assim como amanhã também será.
Dirigi até o meu apartamento, agora no Lourdes. Depois da minha viagem, eu resolvi mudar de apartamento e encontrei um excelente no bairro Lourdes e era bem melhor, já que estou seguindo fielmente por algum tempo a minha dieta nova e muitos itens eu encontro no Verdemar. Falando nisso, eu estava precisando comprar pão integral, mas como iria visitar Caroline no final de semana, nem me preocupei muito.
Cheguei até o meu estacionamento e estacionei meu carro na minha vaga: a do apartamento 502.
Caminhei até a sala de reuniões com o meu chefe na maior inocência. Fechei a porta e sentei-me, observando a mesa redonda e preta antes de olhar para Tomas. Ele estava inquieto e aquilo me preocupou.
– O que foi, Tomas? – Perguntei.
– Eu odeio fazer isso. – Ele falou – Você sabe que o jornal necessita cortar alguns gastos e o chefe me encaminhou uma lista de funcionários que…
– Estão na rua. – Completei, já sabendo da realidade – E eu sou qual número?
– Dez. – Ele respondeu – Desculpe-me por isso, Lorena… Bom, você pode passar no RH e arrumar as suas coisas.
Ele se levantou e eu levantei logo em seguida.
– Tomas – Falei – Muito obrigada por essa oportunidade, de verdade. 
Ele sorriu para mim e saímos da sala.
– Eu vou parar no RH para organizar tudo para a minha saída. – Falei – Eu ainda irei voltar lá para me despedir de todos.
Subi os cinco lances de escada até chegar ao meu apartamento e fui surpreendida por Jack Sparrow, o meu Shih-tzu de estimação. Outra vantagem de ter me mudado para o bairro Lourdes: esse prédio permitia animais e um cachorro era tudo o que eu precisava. Jack Sparrow era mais que um companheiro, era um filho para mim. Um filho que faz suas necessidades no meio da sala e que come que nem um boizinho. 
– Olá garoto! – Falei com voz brava – Fez cocô na sala de novo, não é?
Ele correu. Ele sempre corre quando eu falo com a voz brava sobre coisas que ele já devia ter aprendido, uma vez que eu sempre deixo a porta da varanda aberta para ele fazer suas necessidades lá.
Recolhi o cocô dele e joguei no lixo, sentando-me no meu sofá. A minha sala era da forma que eu queria, uma decoração que revezava entre as cores branca e marrom. A minha porta e minha estante eram da cor marrom, juntamente com o meu tapete, algumas peças da minha decoração e minha mesa de centro. Já os meus sofás, minha parede e a cortina eram da cor branca.
Quando eu sentei, Jack Sparrow aconchegou-se em meus pés e eu o peguei no colo, colocando-o no sofá também.
Comentários Facebook
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Aline – Literalizando Sonhos

    21 de março de 2015

    Olá!
    Gostei bastante do texto e da forma como descreveu os acontecimentos.
    Estou curiosa pela continuação.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

  2. David Andrade

    21 de março de 2015

    Oi Ju!
    Eita, ME LEVE A FRANÇA TAMBEM *-* Mentira, me leve ao parque do HP, quero ir la o/
    Ficou ótimo o texto flor. Quer dizer, achei que você descreveu super bem todos os cenários e sentimentos. Parabens *-* Continue assim, e muito sucesso.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

  3. Fernanda Bizerra

    22 de março de 2015

    Oi Ju!

    Que legal este seu texto.
    Me leve para conhecer o mundo hahahaha meu sonho.
    Espero ver mais textos por aqui e sempre recheados de emoções

    Beijos
    http://www.amorliterario.com

  4. Fabiana Strehlow

    23 de março de 2015

    Olá, Juliana!
    Parabéns pelo texto!
    A sua escrita é muito boa!
    Fiquei curiosíssima com a continuação…

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

  5. Aline Gonçalves

    23 de março de 2015

    Oie, tudo bom?
    Gostei muito dos diálogos e da narrativa fluida. Vou aguardar outros textos.
    Parabéns. Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

  6. Diana Canaverde

    28 de março de 2015

    Olá.. tudo bem???

    Achei bem legal o texto… essa coisa de horoscopo é algo relativo para quem acredita ou não… no seu texto tudo aconteceu… fiquei curiosa… será Lorena vai encontrar a suposta namorada de seu noivo?? Adorei a narrativa e os devaneios da protagonista… xero!!

  7. Livros & Tal…

    29 de março de 2015

    Olá linda!
    Vc realmente escreve bem demais.
    Gostei desse seu segundo capitulo e quero mais… estou curiosa… continua :3
    Ameiiii o Jack Sparrow! kkk Ideia brilhante

    beijos
    Mayara

  8. Paula Juliana – Overdose Literária

    30 de março de 2015

    Ju! Sua linda vc é muito criativa! Curtindo muito a história, não me lembro de ler o primeiro cap, mas mesmo assim li esse segundo e consegui seguir direitinho! E quem não quer ser levado pra França?!!! Beijos

  9. Celly Nascimento

    30 de março de 2015

    Oie, Ju!
    Me situa um pouco: esse é um livro que você está publicando apenas na internet ou ainda vai ganhar uma versão física? Porque mesmo não gostando do gênero, reconheço seu talento como escritora e acho que você deveria publicar. Eu com certeza estarei comprando!
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

  10. Leitor Sagaz

    5 de abril de 2015

    O dia da Lorena não foi dos melhores em rsrsrs.
    Não me ligo muito nisso de horóscopo, na verdade só sei do meu signo porque um dia alguém me disse qual era, senão nuca iria procurar sobre kkkkk.

    Espero que as coisas melhorem para Lorena no decorrer da história.

    Abraço,
    Diego de França
    http://www.leitorsagaz.com.br