Todos os posts sobre Fala Juliana

Fala Juliana
2 de outubro de 2017
Fala minha galera, tudo certo com vocês? Estou aqui com mais um Fala Juliana, aquele post mais sério o qual eu exponho minha opinião. E o assunto de hoje é um que me deixou bem chocada e é algo que eu, honestamente, não queria que existisse: Toxicidade e negatividade na internet.
Este post tem a ver com a semana a qual fiquei afastada da internet. Já tem muito tempo que eu estou vendo cada vez mais a internet sendo uma coisa bem tóxica. Se você não concorda com uma opinião, você tem uma determinada ideologia política ou está totalmente errado. Só que muita gente não sabe argumentar. Já chega no ataque. A conversa acaba virando uma cartilha de ofensas gratuitas.
E, recentemente, percebi que esta toxicidade está cada vez mais perto de blogs e canais do YouTube. Fiquei impressionada ao ler alguns comentários de YouTubers com muita gente tóxica. Se você faz um vídeo de regata e é acima do peso, as pessoas vão falar “Gordx”, “Nossa, precisa emagrecer, hein?”. Você pode falar sobre assuntos extremamente importantes no vídeo, mas a pessoa está ligando é para a sua aparência. Sabiam que isso faz mal não só para a pessoa que recebe a ofensa, mas para quem ofende também? Claro, as pessoas veem quem você é por comentários em redes sociais.
É nestes momentos que eu fico com uma saudade imensa da internet em 2010/2011. A internet era bem menos tóxica. Não tinha uma competição besta para ver qual blog era o melhor, uma loucura de comprar seguidores e inscritos, fingir ser outra pessoa… Enfim, as pessoas eram mais reais. Elas queriam se ajudar, queriam fazer amigos. Não tinha uma competição boba de “minha grama é maior que a sua”. Se tinha, era bem pouco. Pode ser por isso: não me recordo de ninguém louco por parcerias em 2011 aí quando eu vejo a enxurrada de gente preocupado só com parceria me assusta.
Aconteceu um caso em um grupo que participo que uma pessoa postou sobre parceria. Uma amiga colocou prints dela falando mal de blogueiros. Você deve estar pensando “nossa, todos elogiaram esta menina”, certo? Errado. Mandaram mensagens dizendo que a menina estava estragando a parceria deles.
Infelizmente, a internet está virando algo assim: compra de seguidores, pessoas se estapeando por parcerias e pessoas egoístas. Quero a internet antiga de volta, sem tudo isso. Sem toxicidade, sem negatividade, apenas pessoas querendo se conhecer.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Fala Juliana
9 de agosto de 2017

Mais um Fala Juliana na semana, então sabemos que a semana passada foi um tanto quanto cheia de coisas que eu fiquei louca para postar. Outra coisa que aconteceu e que me deixou levemente inquieta foi a nova rede social que surgiu: Sarahah.

Fala Juliana: Como ser Tumblr!

O básico do Sarahah consiste em receber comentários anônimos das pessoas e você não pode respondê-los. Pois é, as pessoas dizem o que pensam sobre você anonimamente e você nem pode se defender.

Claro que tem gente que usa a rede social para saber informações sobre o lado profissional. Vi uma desenhista que admiro muito criando um perfil somente para receber dicas sobre o trabalho dela. Isto é extremamente positivo e seria incrível se todas as pessoas focassem em fazer críticas construtivas e ajudassem os outros com pontos que devem ser melhorados.

Porém nem todo mundo pensa assim. Muita gente “das antigas” deve lembrar do ask, formspring e outros. O objetivo dos criadores pode ser o melhor de todos, mas sempre vai ter gente malvada e maldosa que pode abrir o perfil de alguém para xingar. É anônimo, a pessoa nunca vai saber quem que escreveu este comentário maldoso, não é mesmo?

Eu não criaria um perfil assim. Cara, eu sou a pessoa mais insegura do mundo, minha auto-estima cai ao som de Sweet Dreams e eu vou criar esta rede social para que as minhas crises (que felizmente diminuíram) voltem?

Não, muito obrigada.

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Fala Juliana
7 de agosto de 2017

Fala galera, tudo certo? Hoje eu tenho um Fala Juliana depois de muito tempo! Para quem é novinho aqui no blog e não sabe do que eu estou falando, o Fala Juliana é uma postagem que não tem periodicidade definida, ele aparece quando eu tenho um assunto para falar que eu não aguento mais guardar para mim. E o assunto de hoje é como ser tumblr.

Já digo que não quero julgar quem faz vídeos sobre coisas relacionadas ao tumblr (pose, moda, maquiagem, foto, decoração, etc), até porque eu gosto destes conteúdos e acho muito legais. O problema é quando você deixa a sua personalidade de lado para adquirir uma “personalidade tumblr”.

Para quem não conhece, Tumblr é uma rede social a qual as pessoas postam textos e imagens. Ok, bacana, passo 90% das minhas noites vendo várias coisas lá e adoro. Nisso, começou uma febre agora sobre “decoração tumblr”, “foto tumblr” e etc. Beleza, vi vários tutoriais porque adoro as coisas da rede social.

Porém uma coisa me chocou muito outro dia. Estava eu, mexendo no meu feed do Facebook, quando uma menina em um grupo comentou:

“Gente, como eu faço para ser uma garota Tumblr? Não só nas fotos, mas ser Tumblr mesmo”.

Se meu feed não tivesse atualizado sozinho, eu comentava. Gente… Para quê você vai largar a sua personalidade para ter uma que não existe. Sim, uma personalidade que não existe.

Vejamos: existem trezentos tumblrs diferentes. Por mais que possam ter características em comum, são comandados por pessoas diferentes. Pessoas com personalidades diferentes, jeitos diferentes e tudo diferente ha.

E outra: vale a pena, de verdade, deixar de ser quem você é, fazer o que você gosta para seguir um padrão? Imitar pose de foto é uma coisa, mas mudar tudo para ser tumblr vale a pena?

Eu acho que não.

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.