Uncategorized
4 de novembro de 2016

Fala galera, tudo certo?

Cá estou eu com mais um fala Juliana para vocês, aquela postagem que não tem periodicidade que eu falo sobre algumas coisas variadas e hoje eu estou com um tema bem sério que afeta muita gente.
Pouca gente sabe, mas em setembro fecharam meu diagnóstico de depressão e ansiedade. Eu meio que já sabia que eu tinha as duas doenças pois conhecidos meus tem essa doença e na internet vi um vídeo falando sobre depressão e percebi que muitos dos sintomas eram bem parecidos. 
Tive uma crise de ansiedade bem forte entre abril e junho, não lembro a data ao certo, mas lembro que praticamente toda semana eu estava no hospital sentindo algo diferente: refluxo, diarreia, dor de estômago, dor na vesícula e outras coisas no sistema digestivo. Fiz exame de sangue (fiquei até surpresa por ainda ter sangue nos últimos exames) e não acharam nada. Fui ao gastro, para ver se era intolerância à lactose, fiz o exame e, mais uma vez, tudo certinho comigo, graças a Deus.
Eu estava também com muita irritabilidade e não tinha vontade de fazer nada. Se alguém me chamasse para ir comprar pão eu não queria sair da minha cama, fazia de tudo para ficar mais em casa, sentia que se eu saísse de casa ia acontecer algo terrível, ficava doida para voltar pra casa e quando eu ia para a aula eu assistia um pouco da aula e ficava com uma sensação ruim e saía muitas vezes para beber água, para respirar, tentar ficar calma e muitas vezes isso não funcionava. 
Tanto que foi, exatamente nessa época, que eu fiquei sem postar no blog, que eu sumi das redes sociais por um tempo, pois isso me dava certa angústia. Eu sei que as redes sociais não retratam o cotidiano das pessoas, não mostram as barras que aquela pessoa está passando, mas eu fiquei tão mal a ponto de ver que qualquer pessoa que postava uma foto mesmo que de dois anos atrás em uma viagem estava bem e só eu não estava bem. Pensei que todos ao meu redor estavam melhores sem mim e fui me isolando aos poucos.
Voltei a ter consultas com a minha psicóloga e falei com ela sobre isso tudo, que eu não estava mais aguentando me sentir desse jeito e que eu queria sair logo dessa. Fiz consultas semanais (ainda faço) e eu continuava do mesmo jeito. Até que teve um dia que conversei sério com minha mãe e ela falou que era para eu procurar um psiquiatra.
Hoje eu faço uso do medicamento que foi prescrito, mas eu ainda vejo que eu tenho muito para melhorar. Hoje eu estou melhor que ontem, mas amanhã eu posso, mais uma vez, só querer a minha cama, a minha casa e não ter vontade de sair. Conversei com meus familiares e meus amigos que me deram muita muita, mas muita força mesmo para seguir em frente e ficar mais motivada. Se não fosse por eles eu estaria sem sair da minha cama para nada na melhor das hipóteses.
E por que eu estou fazendo esse post? Pois eu vi em um grupo de blogueiras que eu participo que uma menina (não vou citar nomes) queria ajuda para ajudar um amigo ou uma amiga com depressão e teve essa onda do setembro amarelo que eu fiquei martelando muito se postaria ou não um post para falar sobre isso ou se esse post ficaria somente nos rascunhos, mas sempre que eu faço um post com tema mais sério eu penso que ele pode ajudar alguém, então está aí.
Se você conhece alguém com depressão não diga que é preguiça, não ria se a pessoa fala um assunto sério mesmo em tom de brincadeira e mostre que você está do lado da pessoa. Isso não é frescura, não é mimimi, isso é um assunto sério e a pessoa tem que buscar ajuda. Se você tem depressão saiba que muitas pessoas querem o seu bem, que elas querem que você melhore e estão torcendo por você. Eu estou aqui, torcendo por você, nós vamos sair dessa e vamos melhorar, eu tenho certeza. Quero vocês comigo em 2017, 2018 e ao infinito e além, ok?
Comentários Facebook
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Jully Almeida

    6 de novembro de 2016

    Nossa,

    eu não conheço ninguém que tenha ou que já passou por isso, mas imagino que não deve ser fácil e com certeza não deveremos julgar ou caçoar pois isso é um problema sério e muitas vidas já foram perdidas :/

    Força Ju e para todos que tem passado por isso
    Amei o post, é de extrema impotência falar sobre depressão sua iniciativa pode ajudar muita gente :*

  2. Jamilson Oliveira

    7 de novembro de 2016

    Eu espero que tu melhore cada vez mais até ficar completamente curada.
    Bem, eu meio que sei como é isso, comecei a ficar com depressão aos 14 anos, mas -graças a minha mãe- eu não fiquei por muito tempo. Quando eu ficava mais tempo que o normal no quarta, ela ia me me incentivava a sair, conversava comigo, brigava as vezes, perguntava o que eu tinha, e fui melhorando aos poucos. Fiquei pouco tempo, mas sei que é muito ruim, uma tristeza que não vai acabar mais, porem grande parte de tudo isso é o psicológico!
    Ou seja, você pode se libertar de tudo isso e ser FELIZ.

    jamilsonoliveirablog.blogspot.com

  3. Liz Chollet

    9 de novembro de 2016

    ei, linda! te entendo! sofro de depressão a uns 4 anos e infelizmente é uma luta constante. Fico feliz que tua mãe tenha sido tranquila contigo e que hoje esteja lidando com isso, consultando e fazendo uso dos medicamentos! É uma luta, demora, dói, cansa…mas vale a pena. Estamos aqui, força! <3

  4. Luana Braz Soares Cabral

    10 de novembro de 2016

    Oi Ju. Nossa, que barra. Depressão é uma doença e muita gente leva na brincadeira, acha que é coisa boba. Imagino o quão difícil seja superar, mas, aos poucos você vai conseguir. Continue, um passo de cada vez! Desejo só coisas boas para você e continue na luta. <3

  5. Menina Moderna

    12 de novembro de 2016

    Sabe, ja tenho visto tanta gente que pensa que tem depressao e faz um drama que eu nao ligo pra isso sabe, pode me julgar sim ! claro que tem veces que pode ser de verdade, cuando um medico constatar, mas sem medico pra mim é mimimi sim, eu ja passei por traumas enormes e nunca pensei em me matar, nao me corto e nao sou depresiva… claro que isso vai de cada pessoa, obviamente, mas pra mim sem laudo medico é mimimi sim… mas seu texto vai ajudar a muitas pessoas, vou compartilhar ele porque de verdade acho que tem gente que as veces precisa de Palavras assim…