Uncategorized
18 de abril de 2015
Nunca fui aquela criança que ficava tranquila com o fato de ficar quieta. Preferia (e ainda prefiro) jogos de aventura, mundos abertos. Devo ter um traço evasivo, só pode. Não aguento mesmice. Não aguento o “tudo bem se não mudar”. Passo horas e horas viajando para inúmeros lugares pelo Google Maps.
Pensem comigo: tenho quase vinte anos de idade e posso contar nos dedos da mão em quantas cidades fui. Fiquei em dúvida se eu contava São Paulo nessa minha lista, já que não visitei bastante a cidade, mas quando viajei para lá fiz minha primeira viagem de avião. Excursões de escola não são inclusos, porque você fica dois minutos em um lugar (que você é obrigado a ir) e pronto. Conheceu, viu, pronto. Volte para o ônibus e vá para sua casa, fazer um relatório sobre o que você viu naquele lugar. Ou copie do colega.
Gosto de viagens. Conhecer mais, me aventurar mais… Faz parte da vida. Mas não falo de viagens estilo excursão. Gosto de ficar nos lugares. Conhecer novas pessoas. Mergulhar em novas aventuras.
Comentários Facebook
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*