Filmes
11 de setembro de 2017
Fala galera, tudo certo com vocês no dia de hoje? Mais uma semana começando e eu resolvi começar com uma resenha de filme recente. No dia 31 de agosto, a Netflix colocou em seu catálogo a adaptação de Death Note que está dividindo opiniões.

Sobre o filme

Data de lançamento: 25 de agosto de 2017 na Netflix (1h 41min)
Direção: Adam Wingard
Elenco: Nat Wolff, Margaret Qualley, Lakeith Stanfield mais
Gênero: Suspense, Terror, Fantasia
Nacionalidade: EUA
Não recomendado para menores de 16 anos
Sinopse: Seattle, Estados Unidos. Light Turner (Nat Wolff) é um estudante brilhante que, um dia, encontra um caderno que repentinamente cai do céu. Trata-se do Death Note, que permite ao seu portador matar qualquer pessoa que conheça a partir da mera anotação do nome do alvo numa de suas páginas. Sob a influência de Ruyk (Willem Dafoe), o dono do caderno, Light passa a usá-lo para eliminar criminosos e pessoas que escaparam da justiça. A súbita onda de assassinatos faz com que ele seja endeusado por muitos, que o apelidaram de Kira, mas também atrai a atenção de um enigmático e também brilhante detetive, chamado L (Lakeith Stanfield).
(informações retiradas do site Adoro Cinema)

Minha opinião:

Quando tem uma adaptação para filme, devemos levar em conta muitas coisas: nacionalidade, tradução, tempo, orçamento, etc. Portanto, levando em conta estes aspectos e outros, eu achei um bom filme. Sim, o anime e o mangá são bem melhores, mas o filme não é totalmente um lixo.
Ele é um bom filme, a escolha dos atores e os personagens são legais, mas não é um bom filme se você pensar como adaptação. Se você pensar no mangá e no anime, com certeza vai achar o filme um lixo e querer matar a produção. Confesso que, nos primeiros quinze minutos de filme eu custei a ver. Achei muita enrolação e queria que acontecesse como no mangá. Então eu decidi desvincular o filme das outras produções e consegui ver o resto.
Eu nunca li o mangá, mas eu prefiro o anime por conta da quantidade de detalhes que foram totalmente dispensadas no filme. O que eu gostei foi de ver muita gente (incluindo minha mamãe) que viu o filme se interessar pelo anime. Com certeza o anime é melhor. O mangá deve ser bem melhor, mas como não li, não posso opinar.
E vocês, o que acharam do filme? Gostaram, odiaram? Contem para mim nos comentários!
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Animes e Mangás
8 de setembro de 2017

Fala galera, tudo certo? Comentei no último melhores do mês sobre o anime Vampire Knight e, depois de muito delongar, venho com a resenha. Se vocês querem conhecer mais sobre o anime e o mangá, continuem a ler! Ah, fiquem tranquilos! A resenha é livre de spoiler.

Sobre o anime:

Gênero: Drama, Mistério, Shoujo, Sobrenatural, Vampiros
Autor: Hino Matsuri
Direção: Kiyoko Sayama
Estudio: Studio Deen
Status do Anime: Completo
Ano: 2008
Sinopse: A história passa-se no Colégio Cross, um internato de prestígio que divide os alunos em dois grupos: A Day Class, cujos alunos são humanos e todos usam uniformes escuros, e a Night Class, constituído apenas por vampiros e todos usam uniformes claros. O objetivo do colégio é promover a convivência pacífica entre ambas as espécies. Então a principal regra para a Classe da Noite é que é proibido beber sangue humano dentro dos limites do colégio, em substituição, eles devem tomar pastilhas de sangue.

Porém a maior parte da sociedade humana [incluindo a Day Class] não sabe e não pode saber da existência de vampiros, então para guardar esse segredo e fiscalizar se a Classe da Noite está seguindo as regras, foram criados cargos de Monitores que na realidade atuam como os Guardiões do Colégio. Por serem os únicos na Day Class que sabem sobre os Vampiros, Yuuki Kurosu (Ou Cross, na versão Americana) e Zero Kiryuu ocuparam tais cargos.

Informações retiradas do site Assistindo Animes Online.

Minha opinião:

Confesso que cortei metade da sinopse para ter coisa para falar na resenha, já que a sinopse do site diz tudo o que eu tinha para falar.

Yuuki é uma jovem garota que, aos cinco anos de idade, foi salva por Kaname de um Vampiro de Nível E. No anime, os existem classificações para os vampiros. O nível E é o nível mais baixo e informa que o vampiro já foi um humano, logo ele não tem a sua consciência após certo tempo. Para manter a segurança das garota, Kaname a levou para a casa de Kaien Cross, que acabou adotando a Yuuki.

A história acontece dez anos depois, com Yuuki sendo monitora da Academia de seu pai adotivo juntamente com Zero, um jovem que é filho de caçadores de vampiros que morreram assassinados por um vampiro. Logo, os dois protegem a existência dos vampiros na Academia, que são da turma da noite.

O meu personagem favorito sem dúvidas é o Kaien (gosto do Zero, mas o Kaien ganha). De início, ele parecia ser aquele personagem secundário que não faz nada, mas depois que revelaram o segredo dele… Eu fiquei chocada. Vocês sabem o quanto eu amo personagens com segredos sobre seu passado, então não teve outra. E o jeito dele super simpático e protetor não só com a Yuuki e os vampiros, mas com toda a academia, só me fez chorar no final de Vampire Knight Guilty.

Melhores do mês de Agosto

O enredo e a história são fantásticos. Por mais que seja um shoujo não achei que a história era totalmente focada no romance. Os personagens realmente tem uma personalidade, não é aquela coisa transparente e bobinha. A história por trás de cada personagem e dos acontecimentos é muito bem contada, o que me animou bastante.

Porém, nem tudo é perfeito, não é mesmo? E tem duas coisas que me deixaram levemente (ok, muito) irritada ao ver. Primeiro é o otimismo sem fim da Yuuki. A menina estava quase morrendo, querendo recuperar a memória, todos os vampiros queriam o sangue dela e ela sorria, dizendo que estava tudo bem. Outra coisa que me irritou, mas não foi como o otimismo, foi a paz do Kaname. Está rolando a batalha final, todo mundo louco, os vampiros mostrando seus poderes para ajudar a academia  e ele anda. Passinho de tartaruga para não perder o ar de poderoso, mas que irrita profundamente. Sem contar as chances que ele perdeu de matar outras pessoas.

E aí, se interessaram em assistir o anime? Já assistiram? Me contem mais nos comentários!

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Games
6 de setembro de 2017

E aí minha gente, tudo certo? Em agosto deste ano, a Bloober Team S.A. (mesma desenvolvedora de Layers of Fear) lançou o jogo Observer. Com uma pegada mais Steampunk, o jogo é um terror o qual você entra na mente das pessoas e, com isso, descobrir mistérios.

Sobre o jogo

O que você faria se seus medos fossem hackeados?

O ano é 2084. Você é Daniel Lazarski, um detetive neural de elite conhecido como o Observador que faz parte de uma unidade policial financiada por uma grande corporação. Seu trabalho é hackear e invadir a mente de suspeitos. Quando recebe uma mensagem misteriosa de seu filho há muito afastado, um engenheiro de alto nível da poderosa Corporação Chiron, você viaja para os cortiços Classe C de Krakow para investigar. Na medida em que hackeia as mentes de criminosos e vítimas para encontrar pistas, você é forçado a reviver seus medos mais sombrios. Até onde você irá para descobrir a verdade?

Desenvolvido pela Bloober Team, os criadores de Layers of Fear, >observer_ é um jogo de terror cyberpunk feito para um público adulto. O que você verá vai mexer com os seus nervos.

(Texto: Steam)

Jogabilidade

Eu achei a jogabilidade muito diferente e bem completa. Daniel tem implantes robóticos e o jogo aproveitou isso muito bem, colocando novas formas de analisar as cenas. Além da visão normal, o personagem tem visão eletromagnética e a visão biológica. Na visão eletromagnética, o protagonista examina dispositivos eletrônicos e, na visão biológica que, obviamente, examina as questões biológicas. Estas duas visões fazem com que Daniel seja capaz de analisar e destacar certos objetos presentes no ambiente em sua mente.

Sobre o terror do jogo eu confesso que ele me surpreendeu bastante. Não é como a maior parte dos jogos de terror, que o susto vem nos primeiros segundos. O terror vem gradativamente, o que eu acho extremamente positivo para o jogo.

Vocês já conheciam o jogo? Se interessaram? Me contem nos comentários!

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Games
4 de setembro de 2017
Fala galera, tudo certinho com vocês, seus lindos? Recentemente a EA anunciou a próxima expansão do jogo The Sims 4, que será com gatos e cães. Porém eu estava comentando com a Bárbara Nassar (acompanhe o canal dela) em uma live que ela fez no canal dela e pensei neste post. Quais são as expansões de The Sims 4 que eu mais quero ver no jogo?
Lembrando que, até o fim do post, nenhuma destas expansões foram confirmadas. Estou somente desejando essas expansões (e dinheiro para comprar todas). Ah, e alguns recursos que eu citei podem ter conteúdos personalizados que simulam. Porém, como eu não uso CPs, queria uma expansão com essas coisas.

1. Carros e motos

Com certeza o jogo iria necessitar de muito espaço. O mundo já é aberto e gasta se não me engano 2GB de memória Ram. Com carros para rodar a cidade toda ia ficar muito mais pesado, obviamente. Mas quem liga? Imagina chegar nos lugares com carros? Ou, se seu sim for rico, ter um motorista particular? Gente, ia ser muito bacana.

2. Sobrenatural

A expansão de vampiros é ótima, apesar de enjoar muito rápido. Mas se fosse junto em um pacote sobrenatural, com certeza seria bem melhor. Cara, além de vampiros, poderíamos controlar zumbis, lobisomens, reviver sims mortos de forma mais fácil, etc. E as profissões? Por favor, quero logo imitar os Winchesters em The Sims 4 galera!

3. Estrelas

O The Sims 3 teve uma expansão chamada Katy Perry: Showtime, que incluía palcos, cabelos e muito mais itens relacionados a Katy Perry. Por que não melhorar e trazer ao The Sims 4 algo assim? Mas nem precisa ficar preso a um artista: faz um showtime incluindo muitos artistas famosos! Imagina que louco seria você criar um estúdio de gravação na sua casa?  E ter a opção de marcar show em bares e essas coisas? Ter a opção de você ser um produtor musical ou um cineasta ou um dançarino? Seria muito bacana.

4. Lugares do mundo

Lembram do The Sims 2: Bon Voyage? O The Sims 4 precisa de algo assim. No momento só tem férias para o campo ou para a sua casa. Poxa EA! Vamos colocar os Sims para dar uns rolés na Times Square, tomar café de frente a Torre Eiffel ou fazer um passeio romântico em Veneza!

5. Rastro de crimes

Mano, imagina uma expansão inspirada em Carmen San Diego? Que você é um detetive e tem que prender uma gangue? GENTE, ISSO SERIA FANTÁSTICO. A “Carmen” deixaria pistas em lugares, deixaria não só um rastro de crimes, mas também de assassinatos… GENTE! Seria fantástico! E iria melhorar muito a carreira de detetive na expansão “Ao Trabalho”.

E aí, gostaram do post sobre as expansões de The Sims 4 que eu quero?

Deixe o seu comentário para que eu saiba!
E, se você trabalha na EA e está vendo esse post, eu aceito testar estas expansões e outras hahaha só mandar e-mail para contatojuki@loucurasaovento.com.
Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.
Músicas
1 de setembro de 2017

Olá galera, tudo certo com vocês? Eu já comentei faz um tempo e recentemente comentei novamente sobre o medley da Heather Traska de músicas da Disney. Então eu pensei em separar aqui um pequeno post, mostrando alguns dos meus vídeos favoritos da cantora.

Já digo que não tem todos os meus vídeos favoritos dela. Se tivesse, o post iria ser bem longo por conta de vídeos. Além disso, se você gosta de tutoriais de maquiagem ou vlogs, também tem esses conteúdos no canal dela.

Veja o melhores do mês de agosto!

Conheci ela por causa do medley que ela fez de músicas da Disney. E outra coisa: sabem as maquiagens mega elaboradas que vocês estão vendo?

Pasmem: ela quem fez. Mano, eu levei meio século para aprender a passar delineador (e ainda erro), e ela faz essas maquiagens como uma profissional. Ela fez vários tutoriais das maquiagens e, se você tem uma habilidade alta de maquiagem e uma excelente coordenação motora, acredito que vai se dar muito bem copiando as maquiagens dela.

“Mas Juliana, só tem vídeo de música e maquiagem?” Não minha gente. Tem também vlogs, lookbooks e behind the scenes, porém tudo está em inglês.

E, se você não for muito fã da Disney, no canal também tem vários medleys de musicais.

Já conheciam o canal dela? Não? Me digam o que acharam!

Juki

Graduanda em letras e canceriana de 22 anos na identidade, mesmo com cara de 17. Apaixonada por games, música e literatura, viciada em animes e mangás e louca por chocolate.